Amandio Bastos Junior em 22-11-2016

Empregabilidade – O grande desafio do século XXI

O termo empregabilidade surgiu para ser uma espécie de “mediador”, pois há um tempo o capital intelectual era uma vantagem muito competitiva. Porém, o capital emocional e o capital ético se colocam em posições tão importantes quanto o intelectual.

O termo empregabilidade surgiu para ser uma espécie de “mediador”, pois há um tempo o capital intelectual era uma vantagem muito competitiva. Porém, o capital emocional e o capital ético se colocam em posições tão importantes quanto o intelectual.
Conviver com as pressões do dia a dia requer mais do que apenas o intelecto, requer estar bem fisicamente, mentalmente, espiritualmente e psicologicamente.

Estar empregado é um grande desafio. A cada dia as grandes corporações estão mais e mais exigentes. Seus funcionários, ou colaboradores, como alguns estabelecimentos preferem chamar seu staff, precisam mostrar que não estão naquele lugar para apenas passar uma chuva e sim para agregar algo valoroso para a empresa que trabalham e conseqüentemente para si mesmos. Porém, muitas vezes isso requer esforços que vão além de nossa capacidade. 

O termo empregabilidade surgiu para ser uma espécie de "mediador", pois há um tempo o capital intelectual era uma vantagem muito competitiva. Porém, o capital emocional e o capital ético se colocam em posições tão importantes quanto o intelectual. Portanto, somente o capital intelectual não garante permanência no mercado de trabalho. 

Isso se dá devido o alto grau de pressão que o mundo corporativo exige. Conviver com as pressões do dia a dia requer mais do que apenas o intelecto, requer estar bem fisicamente, mentalmente, espiritualmente e psicologicamente. Hoje em dia é muito comum haver afastamentos de empregos por causa de stress e falta de qualidade de vida. 

Todos nós necessitamos exercer alguma atividade profissional que nos traga reconhecimento, auto-realização e retorno financeiro. Estar inserido no mercado de trabalho nos exige alguns critérios que são indispensáveis. Aqui vão algumas dicas:

  1. Nunca pare de estudar. Quem vira as costas para o conhecimento, o faz para o mundo;
  2. Atualize-se sempre. Há pessoas que tem aversão a um bom livro ou revista, um jornal ou um filme. Esteja ligado à cultura, pois aumentará sua intelectualidade. Afinal, você já viu alguém bem sucedido ser ignorante de conhecimento?
  3. Não se acomode na posição onde está. Mesmo dentro da empresa onde trabalha, busque conhecer outros setores, isso o tornará mais polivalente;
  4. Aumente seu networking. Conhecer pessoas que possam lhe ajudar a crescer profissionalmente é um grande negócio. Lembre-se, uma boa rede contatos pode lhe levar a caminhos ainda desconhecidos por você;
  5. Não abandone projetos pela metade. Procure manter o foco em seus projetos, quem começa algo e não termina não passa credibilidade e lembre-se que o mercado está de olho em você;
  6. E por último, utilize bem o trio "sentir – pensar – agir". Algumas pessoas sentem e pensam somente, são aqueles que não saem da teoria. Outras sentem e agem e acabam sendo inconseqüentes. Aprenda a utilizar os três.


Volto a dizer que estar empregado é um grande desafio, porém só depende de nós e aonde queremos chegar. Se você quiser resultados mais impactantes em sua vida, você precisa se aperfeiçoar cada vez mais, se não quiser ir tão alto talvez o que você faz atualmente já lhe basta. Resultado é conseqüência de trabalho e trabalho requer movimento. 

Sucesso a todos!

Amandio Bastos Junior

Consultor de empresas nas áreas organizacional e financeira, trainer e palestrante, especialista em Gestão de Pessoas e Metodologia pelo IBPEX, formado em coaching executivo e coaching de vida pela SLAC - Sociedade Latino Americana de Coaching, membro da ICI - International Association of Coaching institute, instrutor do IDEBRASIL. Possui grande experiência em ministrar palestras e treinamentos pelo Brasil. Autor de artigos para sites, revistas e jornais especializados na área de empreendedorismo. Trabalha com educação há mais de 25 anos.